Vasectomia. Riscos de complicações e como é feita. Ela é irreversível?

Perguntas e respostas sobre vasectomia. Existem riscos de complicações? O que é vasectomia? Após a vasectomia o homem pode ter relações íntimas normalmente?

» Página Inicial

O que é vasectomia?

A vasectomia é a ligadura (fechamento) dos canais deferentes no homem. É uma pequena cirurgia feita com anestesia local em cima do escroto (saco), na qual é cortado o canal que leva os espermatozoides do testículo até as outras glândulas que produzem o esperma (líquido) masculino. Ela é recomendada por urologistas em casos de planejamento familiar ou por homens que por algum motivo não desejam mais ter filhos.

A vasectomia é irreversível?

Não. É reversível sim, porém, a taxa de sucesso da cirurgia de reversão pode variar muito. A vasectomia é considerada uma forma permanente de método contraceptivo, porém alguns homens optam por revertê-la. Essa reversão é realizada por meio de um procedimento conhecido como vasovasostomia, que terá mais chances de sucesso se realizada até 10 anos após a cirurgia.

Após a vasectomia o homem pode ter relações íntimas normalmente?

Sim, o homem continuará com sua vida íntima normalmente. Depois de realizada a cirurgia é solicitado ao paciente permanecer utilizando um método anticoncepcional como antes, até completar os 60 dias necessários para os testes que verificam o sucesso da cirurgia.

Como é feita a técnica sem bisturi?

Vasectomia sem bisturi é uma técnica que utiliza uma pequena braçadeira com extremidades pontiagudas. Em vez de usar um bisturi para cortar a pele, o grampo é picado através da pele do escroto e, em seguida, aberto. Os benefícios do presente processo incluem hemorragia menor, um buraco pequeno na pele, e menos complicações. Vasectomia sem bisturi é tão eficaz quanto a tradicional.

Após a cirurgia o homem corre o risco de ficar impotente?

Não. Muitos homens se recusam a fazer vasectomia por acreditarem que ela possa provocar distúrbios de ereção. A vasectomia torna o homem estéril, mas não interfere na produção de hormônios masculinos, nem em seu desempenho sexual.

Quem pode se submeter a ela?

De acordo com a lei 9.263, publicada no Diário Oficial da União em agosto de 1997 sobre a regulamentação do planejamento familiar, a vasectomia é indicada para homens acima de 25 anos ou com pelo menos dois filhos vivos, ou nos casos em que a gravidez do cônjuge gere risco de vida.

Existem riscos de complicações?

Sim. Como em qualquer outro procedimento cirúrgico, pode haver complicações, e você deve perguntar ao seu médico o que deve fazer nesta situação.

As complicações incluem:

Dor no local. Esta dor é tratada com sucesso por medicamentos, mas algumas vezes a remoção do epidídimo é recomendada.

Uma chance de infecção, sangramento e ferimento passageiros.

Formação de granuloma.

Edema temporário e acúmulo de líquidos.

Em raros casos, o canal deferente pode ter uma recanalização espontânea e o homem tornar-se fértil novamente. Isto acontece em menos de 1% dos casos e está relacionado à experiência do cirurgião e à técnica cirúrgica aplicada.

Existe uma complicação clássica da vasectomia, chamada Síndrome da Dor pós-Vasectomia, que pode ocorrer em 5% a 30% dos casos (dependendo da intensidade da dor), e consiste em dor crônica persistente.


 
Veja também: