Leucoplasia. Causas, prevenção e tratamento


A leucoplasia é uma doença que causa a formação de placas brancas e espessas em partes da boca. É comum atacar o interior das bochechas, as gengivas, a parte inferior da boca e, em alguns casos, a língua.

A leucoplasia não é considerada uma doença perigosa. No entanto, alguns casos podem se tornar graves. A maioria das placas é benigna, porém, uma parte apresenta sinais precoces de câncer. Além disso, quando há diagnóstico dessa doença na boca, o câncer está perto das áreas em que a leucoplasia afetou.

Causas

Não se sabe ainda o que leva uma pessoa a desenvolver a leucoplasia, mas especialistas apontam para múltiplos fatores. Veja as causas:

  • Tabaco, seja ele fumado, mascado ou mastigado
  • O uso de cigarros, cachimbos e charutos.
  • O álcool, que pode potencializar o surgimento das lesões quando associado ao tabaco.
  • Irritação nos tecidos bucais, como dentes quebrados ou corroídos pelas cáries.

As lesões pré-malignas estão entre 5% e 25% dos casos, mas todas as leucoplasias precisam ser tratadas como se fossem. Existem tipos que não são considerados pré-malignas, como a leucoplasia pilosa, que está relacionada com doenças que causam imunodeficiência severa, como a AIDS.

Prevenção

A melhor forma de se prevenir é consultando o dentista quando alterações incomuns, que resistem a desaparecer, são sentidas na boca. A aparência de uma lesão que lembra a leucoplasia não significa que se trata da condição. Como existem outras lesões brancas muito parecidas, apenas um diagnóstico diferencial poderá esclarecer o caso. Além disso, a aparência clínica varia muito. Existem, por exemplo, doenças que se assemelham a leucoplasia, como a candidíase e o líquen plano.

Tratamento

Para realizar o tratamento, o médico ou dentista recomenda que o paciente evite estar exposto aos fatores de risco. Em razão disso, é recomendada a abstinência do tabaco e do álcool. Outra maneira de tratar é evitando irritantes crônicos, como dentes com bordas cortantes e próteses mal adaptadas.

Em muitos casos é preciso que o paciente realizar uma biópsia ou avaliação histológica para encontrar o tratamento. Nos casos em que foi reconhecido um câncer ou um fator pré-cancerígeno, é necessário realizar uma cirurgia para a remoção do problema.



 

Veja também:

 

2016   |   conteudo.inf.br   |   Política de privacidade